Atualização e mudança de endereço do Moodle da USP

Na tarde de terça -feira dia 10 de janeiro haverá uma janela de manutenção para a atualização do Moodle da USP. A partir de 14h até o final do dia o sistema estará indisponível.

Uma importante mudança vai ser o novo endereço e a nova página principal do serviço. A partir de amanhã o acesso do site vai ser via o URL edisciplinas.usp.br (haverá um re-direcionamento automático para quem ainda acessa o endereço antigo, disciplinas.stoa.usp.br).

Além disso, haverá uma nova página principal.

Atualização 10/1/2017, 16h00: A migração para Moodle 3.1 e o re-direcionamento para o novo endereço (o novo URL é edisciplinas.usp.br) foi bem-sucedido. Clique aqui para ver as novidades e entre em contato caso perceber algum problema (suporte@edisciplinas.usp.br ou o Helpdesk da Pró-Reitoria de Graduação Telefone: +55 11 3091-5057  E-mail: suportegrad@usp.br

Turmas de 2017 no Moodle da USP

Está disponível desde segunda-feira dia 12 para ministrantes de turmas de 2017 a possibilidade de criar um ambiente de apoio online no Moodle da USP. A integração do Moodle com Júpiter e Janus replica as informações sobre ministrantes de turmas cadastrados pelas seções de alunos (até 12/12, já foram cadastrados 4600 docentes para ministrar 12 mil turmas, de 4800 disciplinas diferentes, da graduação e da pós).

criacao-ambiente-1

Se está tudo certo aparece um botão verde “criar ambiente” na página principal do ministrante responsável. Em alguns casos, a integração não funciona corretamente. Entre em contato com suporte@edisciplinas.usp.br ou o HelpDesk e ajudaremos.

Temos recomendações para quem já tem um ambiente no Moodle em 2016 ou antes e para quem cria seus ambientes de apoio agora em dezembro, antes das consolidações das matriculas no Júpiter e Janus.

Importar conteúdos de anos passados

Se há um ambiente de apoio no Moodle para oferecimentos em 2016 ou antes da sua disciplina, é possível “importar” os recursos e atividades de ambientes de oferecimentos passados. No Moodle isto é bem fácil: procure, no ambiente novo, o link “Importar” no bloco Administração. Escolhe o ambiente de apoio apropriado e escolhe as atividades, recursos ou blocos laterais que queira importar para o ambiente novo. Somente pode “importar” ambientes em que estava inscrito como docente. Se precisar importar o conteúdo de um ambiente que era de outra pessoa, entre em contato ( suporte@edisciplinas.usp.br, com os links do ambiente antigo e o novo, idealmente).

Importar

 

Deixar ambiente oculto por agora

Nossa integração não distingue entre “Inscritos”, “Pendentes” e “Matriculados” (conceitos do Júpiter). Isso significa que por padrão todos os “inscritos” no Júpiter são inscritos no ambiente de apoio no Moodle. A nossa recomendação é manter o ambiente “oculto” para alunos. Após a criação do ambiente, vá para Editar configuraçoes e escolhe “Ocultar” no campo Visível:

criacao-ambiente5

Em fevereiro deve se lembrar de des-ocultar o ambiente.

Veja mais informações para Docentes, em particular sobre como configurar o acesso (ou não) por visitantes, a inscrição de monitores e colegas e como juntar turmas

 

Nova página principal do Moodle da USP

O Moodle da USP está sendo integrado cada vez mais com os outros sistemas em apoio às atividades de educação da USP. Mais um passo é dado com uma nova página de entrada ao site. Veja abaixo como ficou.

O objetivo principal do novo design é integrar visualmente com o Júpiter e Janus. A página principal tem dois públicos alvo principal, os nosso estudantes e docentes e o público em geral. Os primeiros devem se logar o mais rápido possível. Deixamos por agora o modo legado (com a senha antiga da rede social Stoa) ainda em destaque, para evitar problemas para pessoas que guardam esta senha no seu navegador.

Para o público em geral demos os passos iniciais para um sistema de busca aprimorado que vai expor disciplinas cujo material didático está aberto para visitantes acessar. Atualmente, docentes de quase metade de todos os ambientes de apoio hospedado no Moodle da USP compartilham seu material didático e a forma de organizar suas disciplinas com outros educadores e o público em geral.

Por agora, a busca retorna uma lista somente ordenada por data, mas estamos trabalhando para retornar resultados por relevância ou outros critérios para dar destaque ao melhor trabalho dos nossos docentes.

 

Créditos: o novo design está sendo implementado pela Marisa Endruveit e Helbert dos Santos da empresa Codely.

Incidente dia 26/11 casou indisponibilidade do Moodle da USP

Sábado dia 26 de novembro às 15h houve um incidente no datacenter da USP e a Nuvem USP que casou indisponibilidade do Moodle da USP, junto com outros serviços como os sistemas corporativos (Júpiter, Janus e outros) e o portal principal da USP.

Os responsáveis pela operacionalização dos sistemas foram avisados e estão trabalhando para resolver o problema. Por agora, a previsão é que os serviços voltam no final da noite do dia 26.

Atualização 27/11: o Moodle da USP voltou no ar domingo dia 27 às 2:42 de madrugada.

O Moodle e a Senha Única da USP

Como anunciamos no início de setembro, a partir de hoje os usuários Moodle da USP tem opção de usar a Senha Única da USP, iniciando mais uma etapa no processo que integra o Moodle da USP cada vez mais com os outros Sistemas da USP como Júpiter e Janus.

Para começar usar a Senha Única clique no botão “Senha Única” e siga as instruções:

botaosenhauspwiki

 

Importante: uma vez que acessou o Moodle da USP usando a Senha Única da USP, vai usar o botão “Senha USP” para se logar (não use mais os campos “Antigo usuário” e “Antiga senha”). Veja mais na documentação de apoio para mais informações sobre os detalhes de recuperar ou criar a Senha Única.

Porque usar a Senha Única da USP?

Mudanças nos sistemas de TI sempre incomodam. Porque o Moodle da USP está migrando para um novo sistema de autenticação? Do nosso ponto de vista a integração cada vez maior com outros sistemas da USP é estrategicamente importante para alcançar o nosso objetivo de oferecer a todos os membros da comunidade USP a possibilidade de criar espaços ricos de aprendizagem. Mas incentivar o uso da Senha Única oferece vantagens para nossos colegas e estudantes também. Veja alguns exemplos:

Usar WiFi no mundo inteiro

A rede de WiFi Eduroam é global. Só no Brasil existem 1400 locais com acesso à Eduroam.


eduroamMapa de APs com eduroam

 

Usando seu número USP e a Senha Única terá acesso a WiFi em Veja aqui como configurar seu Android ou outros sistemas.

 

Acesso de casa ao Portal Periódicos da CAPES

De dentro da USP o acesso está já resolvido. De casa, uma alternativa é usar o VPN (que usa a Senha Única, veja os itens “Como configurar…” no FAQ), mas é mais conveniente acessar no Portal o link “Meu espaço” e se logar usando a Senha Única da USP.

potalcapes

Mandar arquivos grandes

Porque usar um serviço comercial cheio de propagandas inconvenientes e correr o risco de infecção com virus?  Acesse o serviço filesender.rnp.br do RNP, clique em “Acesso federado” e pronto, com alguns cliques crie um link para compartilhar um arquivo (até 20GB!)

Outros serviços

Veja mais serviços para qual a Senha Única provê acesso.

 

 

Mudanças no Moodle da USP / E-Disciplinas

Estamos em fase de transição. O Moodle da USP vai ser desvinculado da Rede Social Stoa. Veja algumas mudanças:

8 de setembro: site seguro (https)


Atualização dia 10/9 8h00 Resolvemos um problema com videos do youtube incorporado (usando <iframe>…) e (parcialmente) um outro problema com o download de arquivos grandes. Por favor entre em contato com suporte@edisciplinas.usp.br se achar alguma outra coisa não está mais funcionando no seu ambiente após  as mudanças descritas abaixo.

Atualização dia 14/9 13h00: Terça dia 13 conseguimos resolver o problema com download de arquivos grandes. Descobrimos outro problema com o App Móvel devido à mudança para https. Para resolver, remova e acrescente o site disciplinas.stoa.usp.br do App.


 

No final do dia 8 o Moodle do Stoa finalmente vai ter comunicações seguras entre o navegador da Web e os servidores da USP, se conformando às boas práticas da Web. O resultado deve ser mais segurança e privacidade para nossos usuários. Assim como em outros serviços na Web, agora o navegador deve apresentar um cadeado verde como este:

Screenshot from 2016-09-10 07:42:17

É possível que em algumas páginas ainda há referências à conteúdo hospedado em sites sem comunicações seguras. Neste caso tudo deve continuar funcionando, mas vai aparecer um aviso (veja exemplo em Firefox):

Screenshot from 2016-09-08 15-12-56

Se houver perda de funcionalidade, entre em contato com o suporte@edisciplinas.usp.br

9 de setembro: Senha USP para novos cadastros

A Senha Única ou Senha USP é uma iniciativa da USP de unificar a autenticação para a comunidade USP, tanto para entrar em sistemas da própria USP como para entrar em sistemas acadêmicas fora da USP. A partir de 9 de setembro, novos usuários do Moodle  não precisam mais fazer um cadastro no Moodle da USP. Somente precisam se logar (veja abaixo detalhes do processo).

Por um período de duas ou três semanas a grande maioria do usuários continuam se logando como sempre (usando sua senha do Stoa). Neste período de transição somente usuários novos (pós 09/09/2016) e contas de alguns testadores que já foram migrados para usar a Senha USP vão usar o sistema de autenticação nova. Veja a seguir como funciona.

Final de setembro: Senha USP para todos.

No final de setembro, todas as contas no Moodle da USP deverão usar a Senha USP. Isto significa que todas as contas no Moodle da USP (Ex-Moodle do Stoa) terão que usar a sua senha da USP para acessar o Moodle da USP. A senha do Stoa não poderá mais ser usada para o Moodle (mas continuará valendo para a Rede Social).

A sua Senha USP ou Senha Única não é nada mais do que a senha que usa no Júpiter, Janus ou MarteWeb. O processo de se logar é simples. Após clicar no link “Senha USP”, será remetida numa tela de login:

Screenshot from 2016-09-08 15-38-10Será mandado de volta para o Moodle da USP imediatamente (a primeira vez que se loga desta forma talvez terá que concordar com um termo ou verificar alguns dados).

Atualização do Moodle do dia 30 de junho, 2016

Quinta-feira dia 30 de junho atualizamos o Moodle da USP. Além das costumeiras atualizações de segurança, houve dois destaques relevantes para docentes e alunos:

Nova identidade

O Moodle do Stoa vai virar o Moodle da USP, sob o nome “E-Disciplinas”. A gestão do sistema vai ser compartilhada entre o STI (manutenção técnica da infra-estrutura) e o PRG (gestão e helpdesk). Em breve o Moodle da USP será ainda melhor integrado com a outra infraestrutura de TI da USP (senha única, melhorias na integração com Júpiter, Janus, entre outras melhorias).

Learning Analytics

Instalamos dois novos plugins que permitem o professor acompanhar melhor como o seu ambiente de apoio no Moodle da USP é usado. Um foca nos recursos e atividades, o outro nos alunos.

Heatmap

A unidade de análise desta ferramenta é o recurso ou atividade. Após a habilitação da ferramenta é apresentado uma contagem do número de acesso e número de alunos que acessaram cada recursos ou atividade. Assim, o professor pode fazer uma avaliação inicial sobre a relativa importância que seus alunos dão a cada recurso. Veja um exemplo:

Screenshot from 2016-06-30 17-01-00

 

 

Note que o número na caixa da esquerda é o número total de visualizações e o número na caixa da direita é o número de alunos diferentes que acessaram o recurso.

Para começar usar o novo recurso no seu ambiente, ative edição, procure “Adicionar um bloco” no final da barra lateral esquerda e clique em “Heatmap”. Pode demorar um pouco para a página voltar a carregar, porque é neste momento que o plugin analisa os logs do Moodle para gerar os números de uso.

Analytics Graphs

Este plugin, desenvolvido por um professor da IFRS, é um conjunto de relatórios que mostram ao professor o engajamento do aluno com os recursos no Moodle. Um dos relatórios mais interessantes é o de engajamento do aluno com o AVA, onde claramente podemos distinguir alunos que desistiram, alunos que acessam regularmente ou alunos que precisam de orientações ou apoio.

visualizacoes

Note que alguns dos relatórios disponibilizados podem demorar para ser gerados e que ainda há alguns bugs de apresentação. Vamos colaborar com melhorias deste plugin e contribuí-las de volta ao desenvolvedor original para que toda comunidade pode se aproveitar dos esforços compartilhados.

 

Nova arquitetura para os Moodles da USP

No início de janeiro 2016 o Moodle do Stoa foi migrado para uma nova versão (2.9) e para novos servidores. Neste post um pouco mais técnico descrevo as várias opções de arquitetura de servidor para hospedar o software Moodle.

Arquitetura Básica

O Moodle é software livre e pode ser instalado em qualquer computador, desde o seu laptop até servidores grandes hospedados num datacenter. A arquitetura mais simples instala todo o software necessário num único servidor: um servidor Web capaz de interpretar PHP como Apache e um base de dados SQL como MySQL ou Postgresql.

 

Arquitetura básica para hospedagem do Moodle
Arquitetura básica para hospedagem do Moodle

Esta arquitetura é boa para uma instância de desenvolvimento ou para uma instância de produção com relativamente pouco uso. O problema é que assim que há mais carga no servidor (uso simultâneo do sistema por vários usuários) o servidor Web e a base de dados vão brigar por recursos (memória, CPU e banda) e o sistema vai ficar instável e não-responsivo.

Arquitetura Intermediária

Uma solução é hospedar os principais componentes, o servidor Web e o banco de dados, em servidores (sejam virtuais ou físicos) separados. Isto vai permitir otimizar os servidores separadamente para sua principal função (servir requisições HTTP e SQL respectivamente).

 

Arquitetura intermediara: separação do servidor Web e o servidor do banco de dados.
Arquitetura intermediara: separação do servidor Web e o servidor do banco de dados.

Moodle do Stoa usou esta arquitetura de 2009 até 2015 e serviu para atender até 25 mil usuários ativos, até 10 mil logins por dia e até 350 usuários simultâneos (últimos 5 minutos). Ou seja, mesmo este arquitetura relativamente simples vai atender a grande maioria dos casos de uso! Para quem está implementando um projeto Moodle para um instituição ou escola, recomendo muito começar com este arquitetura. Use uma máquina com bastante RAM para o servidor web (o número de requisições simultâneas que podem ser atendidas é proporcional a memória disponível) e uma máquina com uma boa performance IO para o servidor do banco de dados (e suficiente memória RAM para poder ter o banco inteiro na memória).

Porém, há limitações: escalabilidade e robustez. Há um limite na quantidade de memória que uma única máquina pode ter. Além disso, se algo acontece com qualquer uma das máquinas, o sistema cai.

Arquitetura Escalável

Para resolver o problema de escalabilidade, uma arquitetura com N servidores Web pode ser usado. As requisições dos usuários são distribuídas por um balanceador de carga para os servidores Web, que se comunicam com a base de dados. O Moodle requer um sistema de arquivos compartilhados por todos os servidores Web, para armazenar os arquivos dos usuários. Também é uma boa ideia usar um servidor de cache (Moodle tem suporte boa para Memcached) para desafogar a base.

 

Arquitetura escalável: N servidores Web com um sistema de arquivos compartilhado.
Arquitetura escalável: N servidores Web com um sistema de arquivos compartilhado.

Com esta arquitetura um aumento da carga pode ser absorvido acrescentando mais servidores Web, desde que a base de dados continue aguentando. É importantíssimo que o sistema de arquivos compartilhado, o storage, é bem performático. Por exemplo, é essencial ter uma conectividade de rede entre os apaches e este storage de extrema boa qualidade (isto é ainda mais importante se as sessões são colocados neste sistema de arquivos em vez que no base de dados).

Arquitetura Robusta

O STI implementou uma arquitetura parecida com a acima, com ainda mais elementos para aumentar a robustez e disponibilidade do sistema. A base de dados é um cluster master-master (usando MariaDB Galera Cluster), com cada servidor Web conectado com um nó do cluster. Os caches Memcached estão atrás do sistema Couchbase para alta disponibilidade. Durante os testes de homologação percebemos que o storage montado via NFS não era performático suficiente para usar como store de sessões e tivemos que configurar o Moodle para usar (um outro) Memcached para esta finalidade.

Estamos ganhando experiência com este sistema. É inegável que o aumento em complexidade significa um aumento de carga de manutenção e talvez risco sistêmico. Mas temos confiança que poderemos diagnosticar e resolver os problemas que vão aparecer. O custo do aumento de complexidade vai ser compensado pelas possibilidades de escalabilidade (em usuários e uso), a possibilidade de hospedar vários outros Moodles da USP neste sistema e pela expectativa de um maior disponibilidade.

Referências e Créditos

A “arquitetura robusta” foi desenhado e implementado pelo Ettore Enrico Delfino Ligorio e colegas do STI. Para saber mais sobre hospedagem de instalações grandes do Moodle, veja as páginas “Performance Recommendations” (e sub-seções na barra lateral desta página) e “Server Cluster“.