Projetos Educativos

O Grupo de Apoio Técnico-Pedagógico [ATP] administra os Moodles de pelo menos cinco projetos na Universidade de São Paulo [USP], são eles:

  • Moodle do Stoa com 150 mil logins por mês, feitos por 20 mil alunos ativos (dados do início de 2014);
  • Moodle do Redefor, uma instância com 150 mil logins de 4 mil usuários por mês (dados do final de 2011);
  • Moodle do novo curso semi-presencial da USP, a Licenciatura em Ciências.
  • Moodles de homologação e Moodles de desenvolvimento de código para todos estes projetos.

Cada projeto tem um Moodle com um conjunto de plugins, temas e relatórios. Por exemplo, o Moodle do projeto Stoa autentica numa base de usuários separada. Uma outra integração feito para este Moodle é um plugin desenvolvido para inscrever alunos nos seus ambientes (disciplinas) baseado na matrícula na base de dados “corporativo” da USP (o sistema de matrículas oficial da USP). O Moodle do projeto Redefor usa uma integração parecida, mas o plugin é um pouco diferente porque os alunos de cursos de extensão são inscritos numa base corporativa com esquema um pouco diferente. Como outro exemplo, foi desenvolvido especialmente para o Moodle do projeto Licenciatura em Ciências um relatório para acompanhar os alunos e tutores, permitindo a configuração de “alarmes”, gráficos de participação, etc. Finalmente, cada um dos Moodles tem o seu próprio template que implementa a identidade visual de cada projeto.
Visando atender a estes projetos e viabilizar a operacionalização, foi montada uma grande estrutura de apoio. Aqui apresentamos parte desta estrutura, tendo como foco parte das tarefas do Grupo ATP.

Papel do Grupo ATP

O modelo de infraestrutura da USP tem como base aquele de apoio a aprendizagem online descrito por Anderson (2008)[1]. Neste modelo, os alunos interagem por meio de um Ambiente Virtual de Aprendizagem [AVA] e utilizam um portal de comunicação que inclui o Helpdesk e os tutores. O Grupo ATP e um dos grupos de trabalho dentro desta grande infraestrutura, auxiliando de forma técnica e pedagógica os demais grupos, tais como o dos professores-autores das disciplinas, o grupo de Design Instrucional [DI], o Helpdesk, as equipes de produção de materiais didáticos e o grupo de material audio-visual.
Os objetivos e processos pedagógicos são analisados pelos DI em conjunto com os professores-autores, e posteriormente traduzidos pelas equipes de produção em artefatos digitais e atividades. As atividades e processos pedagógicos são implementados no ambiente virtual e os artefatos digitais (objetos de aprendizagem, animações interativas, imagens, textos, vídeos) são armazenados num servidor de mídia, disponibilizando-o para uso no AVA.

Neste contexto, o grupo ATP da USP é responsável principalmente pelo desenvolvimento, implementação e manutenção dos sistemas de TI, dos ambientes virtuais, dos repositórios de objetos de aprendizagem e dos portais de comunicação. O grupo também ajuda na capacitação dos tutores e faz o apoio técnico ao grupo de Design Instrucional dos projetos. A Figura 1 representa de forma simplificada as interações do grupo ATP com outros grupos.

[Fonte: [1] ANDERSON, T., editor (2008). The Theory and Practice of Online Learning. Athabasca University Press.]

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *